• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

APOSENTADOS E IDOSOS CUIDADO COM O CRÉDITO CONSIGNADO!

O Crédito consignado é aquele com desconto na folha de pagamento. O mercado de crédito consignado do INSS alcança quase R$ 86 bilhões. Esse tipo de empréstimo é atrativo aos bancos por ter uma das inadimplências (atrasos acima de 90 dias) mais baixas do sistema financeiro.

O governo anunciou em março a redução do teto de juros cobrados nos empréstimos consignados para servidores públicos da União, aposentados e pensionistas. Para aposentados e pensionistas, o teto do empréstimo consignado foi reduzido de 32% para 28,9% ao ano. Ao mês, o percentual caiu de 2,34% para 2,14%. O corte também valerá para operações realizadas pelo cartão de crédito. A taxa passa de 48,7% para 43,6% ao ano.

É importante lembrar que o crédito consignado pode servir para uma emergência ou para reestruturar a dívida, mas é necessário sempre pesquisar as taxas. E não confundir dívida com renda.

O limite do crédito consignado - descontado mensalmente da folha de pagamento do trabalhador, aposentado ou pensionista - foi ampliado de 30% da renda para 35% em 2015. Esses 5% adicionais, no entanto, são destinados exclusivamente para bancar despesas contraídas por meio de cartão de crédito.

Ou seja, você pode pagar a dívida do cartão de crédito por outra dívida um pouco mais barata. MAS ATENÇÃO! O aumento do crédito consignado está muito longe de resolver os problemas financeiros dos aposentados e pensionistas, pelo contrário só aumenta o endividamento de uma classe que não recebe o aumento salarial digno, justo e real. O fato é que o governo aumenta mais ainda a margem de endividamento quando o correto seria um aumento de benefícios e não de dívidas.

CUIDADOS!

Viver de benefício, aposentadoria ou pensão geralmente não é fácil. Mas quando esse dinheiro ainda é alvo de golpistas que fazem empréstimos consignados diretamente na conta das pessoas, sem qualquer autorização, torna-se pior. Segundo dados da Comissão de Seguridade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Paulo, estima-se que em torno de 8% dos empréstimos concedidos sejam fraudados. O INSS afirma que os dados dos segurados são mantidos em sigilo e que não fornece qualquer dado pessoal sob sua guarda a terceiros. Para resolver eventuais problemas, sugere o registro da ocorrência em delegacia e que se faça denúncia na Ouvidoria do INSS, por meio da Central de Atendimento, no telefone 135.

Em tempos de aperto, saiba os cuidados antes de tomar este empréstimo:

1. Não empreste o nome a terceiros. Quase metade das vezes, o dinheiro não volta. Isso deveria ser até proibido, defende a Associação Brasileira de Educadores Financeiros.

2. Mesmo com taxas básicas, não é empréstimo de graça. Se tomar R$ 1 mil emprestado,vai pagar R$ 250 só em juros por ano.

3. Se achar taxas de juros mais baixas já com o empréstimo em andamento, transfira para outra instituição financeira. É o que chamamos de portabilidade.

4. Considere que, pelo tempo das parcelas, vai receber menos do salário do mês. O desconto do pagamento é feito antes de liberar o pagamento do trabalhador.

Clique aqui para voltar.