• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

INSS CONVOCA 150 PARA O PENTE-FINO ATÉ O FIM DO MÊS

75.254 beneficiários de auxílios-doença que têm de 39 a 45 anos começaram a ser chamados pelo INSS

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social ) vai convocar, até o final deste mês, 150 mil beneficiários de auxílios-doença para fazer nova perícia médica. Na semana passada o órgão começou a enviar as cartas para os segurados de 39 a 45 anos de idade que recebem o benefício há mais de dois anos, disse o presidente do INSS, Leonardo Gadelha. Serão convocados 75.254 segurados nesta faixa etária no segundo lote do pente-fino.

Cerca de 90% das 75 mil cartas do primeiro lote já foram enviadas aos segurados com até 39 de idade e mais de 10 mil perícias médicas foram agendadas.

Segundo Gadelha, a convocação dos segurados vai depender da capacidade de atendimento e da quantidade de peritos de cada gerência, mas a expectativa é que todas as 150 mil cartas sejam enviadas até o final do mês.

O órgão ainda não tem o levantamento de quantos benefícios foram cancelados ou convertidos em aposentadorias por invalidez desde o início das perícias do pentefino, no mês passado. A convocação é feita por carta com aviso de recebimento. A correspondência dá um prazo de até cinco dias úteis para que o beneficiário do auxílio marque a perícia pela Central 135.

Em julho o governo publicou a medida provisória 739, que determinou a revisão de 530 mil auxílios-doença e 1,2 milhão de aposentadorias por invalidez que são pagas há mais de dois anos pelo INSS. Serão chamados os segurados que não passaram por perícia de revisão entre julho de 2014 e julho deste ano. O objetivo é verificar, por meio de novo exame, se os beneficiários continuam incapazes ou se devem retornar ao trabalho.

Nos discursos, o governo já aponta que com as revisões serão economizados mais de R$ 7 Bilhões com estimativa de cortar 3 milhões de benefícios para os aposentados por invalidez e 800 mil dos que recebem auxílio doença. O pior disso tudo é oferecer um bônus de R$60 aos peritos por cada corte de benefício. Este é o maior absurdo e desrespeito com os aposentados por invalidez e aos que recebem auxílio doença.

Antes de qualquer ação, o governo não deve pensar primeiro na arrecadação, mas sim, em verificar as fraudes em si. O governo tem por obrigação combater a fraude até os mais altos cargos como, por exemplo, os milhões de reais desviados por centenas de parlamentares, membros do governo anterior, dos membros do governo atual, dos que roubaram a previdência no caso dos empréstimos consignados, do ex -Ministro Paulo Bernardo e tantos outros. Todo esse dinheiro roubado deve voltar integramente aos cofres da Previdência Social e não para o governo fazer superávit!!

Esperamos que esse combate à fraude não recaia em pessoas que não tem culpa. Não admitimos redução de direitos. A FAPESP, representando todas as entidades de aposentados do Estado de São Paulo não admite que aposentados por invalidez, trabalhadores afastados tenham seu benefício suspenso de maneira injusta. Reiteramos a importância do combate à fraude e corrupção em todos os níveis, até o mais alto escalão.

Clique aqui para voltar.