• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

É POSSÍVEL FAZER REFORMA DA PREVIDÊNCIA SEM MEXER COM DIREITOS

A FAPESP continua de olho em tudo o que a imprensa publica sobre a reforma da previdência. Hoje compartilhamos e analisamos a coluna da Folha de S. Paulo assinada por Benjamin Steinbruch, empresário, diretor-presidente da CSN,e 1º vice-presidente da Fiesp. Na coluna o título já chama atenção com “É possível fazer reforma da Previdência sem mexer com direitos”, concordamos totalmente com esta afirmação.

Durante o texto ele recorda quando foi instituído o 13º salário e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, que substituía o sistema da estabilidade no emprego e estas memórias faz uma comparação segundo ele, a inevitável reforma previdenciária. “Não há como adiar mais a reforma da Previdência —em breve faltarão recursos para manter os benefícios. Novas mudanças são necessárias para dar flexibilidade à legislação trabalhista e com isso reduzir o custo Brasil. E a simplificação tributária é inadiável.”, disse ele.

Segundo ele “Como no caso do FGTS e também do 13º salário, é possível promover essas mudanças sem mexer com direitos adquiridos, gradualmente e via entendimento nacional, com jeito e coragem. Além do governo (executivo), o legislativo tem grande responsabilidade para dar agilidade à tramitação desses avanços.” A pergunta que deixamos é não basta apenas apontar, é necessário nesse momento propostas para que barrem esse processo que visa redução de direito dos aposentados, pensionistas, idosos e trabalhadores.

O que realmente precisamos é da criação de um Fundo Previdenciário, nos moldes do FGTS. Esse fundo seria contraído com o superávit hoje da Seguridade Social, com o Patrimônio principalmente de imóveis, com a cobrança das dívidas de empresas com a Previdência Social e ainda com o recolhimento por parte de empresas de filantropia e renúncia fiscal. Inclusive o senhor que assina a matéria esquece que como a Fiesp e dezenas de entidades filiadas a ela não recolhem contribuição a Previdência, sonegam milhões e mais milhões como apropriação indébita. Com certeza com estas medidas, sem redução NENHUMA de direitos a nossa Previdência seria mais autossuficiente.

Os recursos da Seguridade Social só são conhecidos quando entram nos cofres da Receita Federal do Brasil (Tesouro Nacional). Depois mistura-se com impostos e outros tributos e se transforma em recurso do Tesouro Nacional e usam como querem. Por isso, o Fundo de Reserva será um fundo de Previdência.

A FAPESP DIZ NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! A previdência não é a causadora dos problemas do Brasil, pelo contrário são os aposentados que mais ajudaram na construção do nosso país. Exigimos que trabalhem para o povo e não retirem mais direitos! Não se esqueçam de que quem os elegeu foi o povo! O GOVERNO MENTE A RESPEITO DO DEFICIT PREVIDENCIÁRIO. SOLUÇÃO É REDUÇÃO DE GASTOS DO PRÓPRIO GOVERNO CORTANDO REGALIAS, CARGOS COMISSIONADOS! O QUE FALTA É COMPETÊNCIA PARA ADMINISTRAR A NOSSA PREVIDÊNCIA SOCIAL!

Queremos a manutenção da nossa Previdência como um órgão de ação social, como distribuidor de renda que movimenta a economia de muitas cidades em todo Brasil.

Link da matéria: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/benjaminsteinbruch/2016/09/1814978-e-possivel-fazer-reforma-da-previdencia-sem-mexer-com-direitos.shtml

Clique aqui para voltar.