• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

REFORMA DA PREVIDÊNCIA TEM DE SER DURA E RÁPIDA, DIZ SECRETÁRIO DO GOVERNO

O secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, defendeu que as discussões sobre a reforma da Previdência sejam rápidas. Segundo ele, o país vai envelhecer rápido e precisa de uma solução para controlar os gastos públicos.

Em palestra no Fórum Nacional, no Rio, Almeida frisou que a reforma da Previdência forma, com a PEC que limita o crescimento dos gastos, a base do ajuste fiscal proposto pelo governo ."O país tem que fazer uma reforma da Previdência dura e rápida", afirmou. "As pessoas vivem mais do que viviam há 40 anos. Um regime em que uma pessoa pode se aposentar aos 50 ou 52 anos não acontece em lugar nenhum do mundo", argumentou.

A FAPESP DIZ NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! A previdência não é a causadora dos problemas do Brasil. Exigimos que trabalhem para o povo e não retirem mais direitos! Não se esqueçam de que quem os elegeu foi o povo! O GOVERNO MENTE A RESPEITO DO DEFICIT PREVIDENCIÁRIO. SOLUÇÃO É REDUÇÃO DE GASTOS DO PRÓPRIO GOVERNO CORTANDO REGALIAS, CARGOS COMISSIONADOS! O QUE FALTA É COMPETÊNCIA PARA ADMINISTRAR A NOSSA PREVIDÊNCIA SOCIAL!

Queremos a manutenção da nossa Previdência como um órgão de ação social, como distribuidor de renda que movimenta a economia de muitas cidades em todo Brasil.

A Seguridade Social é superavitária em mais de R$ 50 Bilhões (média), por meio da DRU (Desvinculação de Receita da União) retiram todo o dinheiro para pagamento de dívidas do governo. É O NOSSO DINHEIRO PAGANDO A INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO!

A Previdência tem arrecadação própria, por meio da contribuição do trabalhador, empresas, financiamento por lei através do PIS, COFINS e prognósticos de loteria e sem dependência do orçamento fiscal da União, ou seja, tem recursos próprios. Nossos recursos estão nas mãos do Tesouro Nacional que usa esse dinheiro como preferir.

NÃO ADMITIMOS REDUÇÃO DE DIREITOS! NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

Clique aqui para voltar.