• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

ESTAMOS DE OLHO! PREVIDÊNCIA DEVE TER TRANSIÇÃO ESPECIAL PARA MULHER E PROFESSOR, DIZ PADILHA

A FAPESP está acompanhando TODOS os discursos do governo a respeito da reforma da previdência. Enviamos ofícios aos Deputados e Senadores, enviamos e-mails a imprensa para mostrar a VERDADE sobre a nossa Previdência Social. Estamos na luta e não vamos parar.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta quinta-feira (18) que o presidente interino Michel Temer solicitou que os estudos para a proposta de reforma da Previdência incluam um período de transição especial para mulheres e professores. Um ponto que devemos destacar antes de qualquer reforma é a obrigação do governo em VALORIZAR, QUALIFICAR E REMUNERAR com justiça aqueles que formam os cidadãos brasileiros. Sem os professores não temos nada!

A ideia é elevar a idade mínima de 60 para 65 anos, para os homens, e de 55 para 60 anos, no caso das mulheres. A idade mínima de aposentadoria para professores é de 50 anos, no caso das mulheres, e 55 anos para os homens. Eles também precisam contribui menos tempo: 25 e 30 anos, respectivamente. Padilha não detalhou, porém, como será essa regra especial de transição.

Ele reiterou que aqueles que já estão em idade para se aposentar, ou já requereram a aposentadoria, não serão afetados pela reforma. Os outros "vão pagar um pedágio" proporcional ao tempo que falta para atingir a idade mínima.

Clique aqui para voltar.