• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Saiba como se preparar para pedir a Aposentadoria



Planeje a sua aposentadoria com pelo menos cinco anos de antecedência

O segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que já completou ou está para completar as condições mínimas para se aposentar deve ficar atento a algumas dicas que facilitam a concessão do benefício.

Primeiro, é preciso escolher o tipo de aposentadoria que irá pedir:

Aposentadoria por idade – Tempo de contribuição mínimo de 5 a 15 anos de pagamento, idade mínima de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens;

Aposentadoria por tempo de contribuição – Tempo de contribuição mínimo: 30 anos de pagamentos para mulheres e 35 anos de pagamento para homens. Neste caso não há idade mínima.

Quanto antes o segurado identificar eventuais problemas, menos dor de cabeça ele terá na hora de pedir o benefício. Por isso, quando estiver próximo de fazer o pedido, o ideal é que ele coloque no papel as exigências do INSS e comece a conferir se toda sua documentação está em dia. Para facilitar consulte a agência do INSS ou o site www.inss.gov.br para saber qual é a documentação necessária para pedir o benefício.

Essa organização poderá evitar que o segurado tenha que adiar a aposentadoria porque precisou, por exemplo, ir à justiça para garantir algum direito.

Importante – trabalho sem registro terá que ser reconhecido com ação trabalhista para ser incluído na aposentadoria. Horas extras e benefícios, valores que compõem a remuneração do trabalhador e que deveriam ter a contribuição previdenciária, também podem ser cobradas na Justiça do Trabalho.

Existem ainda questões como o trabalho na adolescência e o registro retroativo, feito por acordo com o patrão, que são barrados no posto do INSS.

Um caso comum que resulta em problemas no pedido nas Agências da Previdência Social (APS) é o reconhecimento do período de trabalho em condições prejudiciais à saúde, o Tempo Especial. Como regra para esse reconhecimento mudou diversas vezes nos últimos anos, é importante que o segurado leve ao posto todos os laudos que comprovem que ele trabalhou em atividade insalubre. Outra dica é conferir se o laudo foi preenchido corretamente.

Em todos os casos, o melhor é consultar um advogado especializado em causas previdenciárias. Portanto, procure o departamento jurídico de sua associação e esclareça suas dúvidas.

Fonte: advogados previdenciários, INSS e Jornal AGORA.

Clique aqui para voltar.