• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

POR AMPLA MAIORIA, SENADO MANTÉM DELCÍDIO DO AMARAL PRESO

O CERCO SE FECHOU DE VEZ! Como uma bomba para o Palácio do Planalto a lama da corrupção finalmente está chegando no alto escalão do governo. A justiça deve ser feita e TODOS os políticos que roubaram a nossa Petrobras devem ser punidos! Se até o líder de governo no Senado está envolvido como podemos acreditar nesse governo? Esse governo não tem moral alguma e esperamos que todos sejam presos e devolvam os bilhões de reais e dólares ao país. O Brasil é dos brasileiros e não de um partido corrupto e cruel.

Em uma decisão inédita, o Senado deliberou nesta quarta-feira (25) por manter a prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) por um placar de 59 votos pela manutenção da decisão do Supremo Tribunal Federal, 13 votos contrários e uma abstenção.

De acordo com a Mesa Diretora da Casa, pelo ineditismo do fato, ainda não há uma decisão sobre se Delcídio poderá continuar no cargo de senador mesmo estando preso. Uma decisão sobre isso deverá ser tomada pelo Senado apenas nesta quinta-feira (26).

O plenário do Senado ficou em silêncio logo após a proclamação do resultado da votação.

O Senado tinha que decidir sobre a manutenção da prisão do petista porque ele tem foro privilegiado –a Constituição estabelece que, em casos de prisão em flagrante, "os autos serão remetidos dentro de 24 horas à Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus membros, resolva sobre a prisão". Delcídio foi preso pela Operação Lava Jato na manhã desta quarta sob a suspeita de tentar obstruir as investigações. Até a prisão, Delcídio era líder do governo no Senado e presidente da Comissão de Assuntos Econômicos, um dos colegiados mais importantes da Casa. A manutenção da prisão foi defendida, principalmente, pelos partidos de oposição durante o encaminhamento da votação. Encaminharam neste sentido DEM, PSDB, PS. Já o PDT e o PMDB liberaram as suas bancadas. O PT encaminhou pela liberdade de Delcídio, mas o líder do partido, senador Humberto Costa (PE), ressaltou que esta era uma posição da bancada e não do partido.

Antes da votação, os senadores discutiram e decidiram pelo voto aberto na análise do caso. Havia um entendimento prévio de que os votos deveriam ser secretos, mas senadores oposicionistas criticaram a interpretação da Constituição e do regimento interno do Senado e articularam pela abertura do voto.

Renan acabou sendo derrotado. Ele decidiu pela manutenção do voto secreto mas deixou que o plenário desse a palavra final no caso. Por 52 votos a 20, os senadores derrubaram a decisão do presidente.

Durante a discussão sobre a manutenção da prisão, os senadores de diversos partidos ressaltaram o ineditismo da questão e o fato de a votação ser "histórica".

O PMDB, partido que poderia ajudar a tirar Delcídio da prisão, acabou mudando de posição ao longo do dia por dois motivos. O primeiro foi a chegada dos autos do Supremo com o conteúdo das gravações em que Delcídio aparecia negociando uma possível fuga do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Os peemedebistas avaliaram que começava a ficar difícil qualquer tipo de defesa do senador petista.

A segunda motivação para que o partido desistisse de apoiar Delcídio foi a divulgação da nota do PT. A avaliação foi que, se nem o próprio partido dava apoio, não caberia ao PMDB segurar a votação no Senado.

Clique aqui para voltar.