• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

MAIS DE 620 MIL PESSOAS ESTÃO SEM PERÍCIA

A greve dos peritos do INSS completa mais de 40 dias com um saldo de mais de 620 mil perícias suspensas, segundo levantamento realizado ontem pela ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos).

O mais revoltante é que por causa da reforma ministerial promovida pela presidente Dilma Rousseff está atrasando a negociação entre a categoria e o governo.

Os mais prejudicados nesse embate entre servidores e governo são os trabalhadores, aposentados, pensionistas e idosos que precisam de atendimento nas agências do INSS. A cada dia de paralisação mais e mais pessoas se acumulam para atendimento, como uma bola de neve. O atendimento que já funciona com uma certa lentidão, sem o atendimento mínimo gera filas e mais filas e só agrava a situação.

Esse problema é resultado da falta de gestão e liderança do governo que não consegue sequer administrar os problemas de defasagem salarial e quadro de funcionários da própria previdência. Como querem cuidar do dinheiro do trabalhador se não conseguem nem administrar internamente essa Instituição tão importante para o trabalhador e aposentado? A CRISE DO GOVERNO ESTÁ PARALISANDO O PAÍS.

Esse governo é um verdadeiro desastre! Ao invés de fazer uma VERDADEIRA REFORMA ADMINISTRATIVA e cortar o luxo em que vivem o governo uniu o Ministério da Previdência com o Ministério do Trabalho. Essa ação mostra o quando o governo não pensa nos trabalhadores e aposentados. A FAPESP REPUDIA ESSA FUSÃO! O Governo deve pensar no seu povo e não governar em troca de cargos! Onde está a economia nisso? O povo mais uma vez pagando a conta!

A FAPESP se posiciona CONTRA essa fusão, pois os aposentados e idosos não contabilizam prejuízo como divulgam. Devemos propor através de um Projeto de Lei a criação de um fundo previdenciário, o que garantiria o futuro da nossa Previdência Social e não permitisse que o governo use argumentos como a previdência é deficitária ou até mesmo inviável. O governo mente e muito sobre a Seguridade Social no Brasil.

Por isso, é necessário que o governo adote novamente a administração quadripartite, de índole democrática e descentralizada, envolvendo os trabalhadores, os empregadores, os aposentados e o Poder Público. A Previdência Social não deve estar dentro do governo, mas ao lado dele. A paralisação é reflexo a falta de respeito e compromisso com o trabalhador, aposentado e pensionista que paga o preço da incompetência governamental tendo salários corrigidos abaixo da inflação e um atendimento demorado. Falta gerenciamento do governo que esquece, não cuida da Previdência.

Clique aqui para voltar.