• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

FAPESP PARTICIPA DO 23° CONGRESSO COBAP EM MACEIÓ

A FAPESP participou entre os dias 8 a 12 de outubro do 23° Congresso Nacional de Aposentados, Pensionistas e Idosos da Cobap – CNAPI na cidade de Maceió em Alagoas.

Logo no primeiro dia aconteceu a reunião com os Presidentes de Federação. O Presidente da FAPESP, Antonio Alves da Silva entregou a todos os presentes na reunião o Projeto Nacional dos Aposentados reforçando que é a única saída para termos novas conquistas é um projeto nacional de luta.

Há muitos anos a FAPESP reforça que a razão da nossa luta são os aposentados que são a nossa base. Os aposentados juntos podem conquistar uma vida justa e digna, podem eleger de vereadores até o Presidente da República. Mas esses anos todos pouco se fez para conquistar a base ou fazer com que ela participe do movimento.

A FAPESP apresentou um projeto exatamente para mudar os rumos do movimento dos aposentados e idosos, resgatando as bases para o movimento. Infelizmente muitos dos nossos dirigentes só falam que é necessário, mas eles mesmos não fazem o que é preciso, não trabalham com suas bases, não constroem um caminho de DIÁLOGO, ENTENDIMENTO AO PRÓXIMO, mas sim, um caminho de mão única, buscando o poder pelo poder, a criação de novos tributos e sem dar nenhum retorno. Totalmente diferente daquele que mais amou os menos favorecidos, Jesus Cristo.

Os rumos do movimento têm caminhado ao oportunismo e poder com prejuízo direto na base. Deixamos de informar, orientar e esclarecer à base criando obstáculos a tão necessária mudança na previdência que ao longo dos anos vem prejudicando àqueles que mais ajudaram a construir o país, os aposentados.

Fala-se em democracia, mas na hora de praticá-la se faz o oposto, não aceitando a posição dos outros. Que democracia é essa? Não é melhor ouvir para entender do que julgar?

VIVENDO E APRENDENDO! A democracia é fundamental para termos uma sociedade mais justa. Infelizmente muitos que se dizem líderes democráticos sequer sabem ouvir o outro e muito menos respeitar. A democracia para esses “líderes” são meios para se governar e serem democráticos a quem os interessam. Opinião diferente para esses “líderes” é igual a ameaça e não se toleram duas visões diferentes. Tem o lema“Faça o que eu faço, mais não faça o que eu faço”. Sem ouvir o próximo não vamos a lugar nenhum. Devemos deixar o ego de lado e fazer o que mais precisa ser feito, trabalhar por um Brasil melhor, mais justo. Os aposentados precisam urgente de uma vida justa e digna e enquanto não sabermos ouvir o próximo não vamos a lugar algum. Ameaças não levam a nada, mas saber ouvir, respeitar a opinião do próximo e SOMAR forças sim, faz completamente a diferença!

Na passagem do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por São Marcos (Mc 7,31-37) “A cura do surdo mudo” deixa claro que aquele homem comunica-se mal porque não ouvia bem.

E esse é o grande mal que hoje não permite a comunicação entre os homens criados à imagem do criador. Ninguém mais se dispõe a ouvir o seu próximo e na grande maioria das vezes nem mesmo sabe quem é seu próximo.

Se queremos conquistar uma vida justa e digna aos aposentados devemos agir e trabalhar muito, aprovarmos o projeto nacional, sermos misericordiosos, entender o próximo, aceitar as diferenças e o mais importante SOMAR FORÇAS e nunca segregar! Da dificuldade devemos fazer a força para assim construirmos uma nova realidade e não como está hoje a base de imposição. Só assim teremos a mudança verdadeira que precisamos! Precisamos querer e fazer sem oportunismo e sem egos inflados e com muita humildade paciência e perseverança.

PRECISAMOS ACABAR COM FALSAS PROMESSAS E AGIR. NOSSA MAIOR LUTA É PELO APOSENTADO E IDOSO! NOSSA MAIOR LUTA É POR NÓS MESMOS, UNIDOS SEMPRE!

Clique aqui para voltar.