• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

GREVE DO INSS JÁ DURA MAIS DE 2 MESES E AFETA MILHÕES DE PESSOAS

Há mais de 2 meses o INSS parou para uma greve sem previsão de fim. O atendimento praticamente parou e as quase 10 milhões de pessoas que eram atendidas por mês nos postos do INSS não têm para onde correr. A paralisação já atinge todos os estados.

Os servidores do INSS e representantes do Ministério do Planejamento devem se reunir nesta segunda-feira (14) para tentar pôr fim à paralisação segundo informações da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social.

O atendimento nos postos do INSS, já estava prejudicado pela greve dos funcionários administrativos do órgão e piorou quando os médicos peritos também aderiram a greve. O trabalhador que pretende se aposentar neste ano pode ter que adiar esse plano. Grande parte das agências do órgão só agenda pedidos do benefício por tempo de contribuição para 2016.

Os funcionários tem o direito de reivindicar melhores condições de salário e trabalho mas o governo deve se abrir para negociações. Enquanto não escutar os funcionários e fazer uma proposta, milhares de pessoas ficam sem atendimento.

Os mais prejudicados nesse embate entre servidores e governo são os trabalhadores, aposentados, pensionistas e idosos que precisam de atendimento nas agências do INSS. A cada dia de paralisação mais e mais pessoas se acumulam para atendimento, como uma bola de neve. O atendimento que já funciona com uma certa lentidão, sem o atendimento mínimo gera filas e mais filas e só agrava a situação.

Esse problema é resultado da falta de gestão e liderança do governo que não consegue sequer administrar os problemas de defasagem salarial e quadro de funcionários da própria previdência. Como querem cuidar do dinheiro do trabalhador se não conseguem nem administrar internamente essa Instituição tão importante para o trabalhador e aposentado? A CRISE DO GOVERNO ESTÁ PARALISANDO O PAÍS.

Por isso, é necessário que o governo adote novamente a administração quadripartite, de índole democrática e descentralizada, envolvendo os trabalhadores, os empregadores, os aposentados e o Poder Público. A Previdência Social não deve estar dentro do governo, mas ao lado dele. A paralisação é reflexo a falta de respeito e compromisso com o trabalhador, aposentado e pensionista que paga o preço da incompetência governamental tendo salários corrigidos abaixo da inflação e um atendimento demorado. Falta gerenciamento do governo que esquece, não cuida da Previdência.

Clique aqui para voltar.