• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

FAPESP PARTICIPARÁ DO III CONGRESSO MUNICIPAL SOBRE ENVELHECIMENTO ATIVO EM OUTUBRO

A FAPESP participará no dia 3 de outubro de 2015 do III Congresso Municipal sobre Envelhecimento Ativo- Cidade Amiga dos Idosos na Câmara Municipal de SP- Salão Nobre (Vd. Jacareí, 100- 8º andar) das 8h30 às 17h. A FAPESP mais uma vez estará junto com especialistas, entidades e autoridades para discutir sobre o envelhecimento ativo e políticas públicas para os idosos. Esse é o compromisso da FAPESP sempre estar na luta a favor do aposentado e idoso.

A programação deste ano também conta com um concurso sobre cases de sucesso voltados à terceira idade. O regulamento e a inscrição do concurso e maiores informações sobre o evento estão no sit ewww.envelhecimentoativo.com

Já somos 1 milhão e 500 mil idosos na cidade de São Paulo, estima-se que em 2050 esse número irá triplicar e ultrapassar o número de crianças. O envelhecimento não pode ser visto como um problema social e sim como uma conquista, por isso precisamos trabalhar para que as pessoas envelheçam com futuro. Precisamos avançar muito nas políticas públicas voltadas aos idosos, o poder público não está acompanhando o crescimento desse segmento da população. Nesse sentido o vereador Gilberto Natalini em parceria com diversos parceiros propôs a realização do Congresso Municipal sobre Envelhecimento Ativo, que já está em sua 3ª edição e em 2015 abordará o tema “Quem financia projetos para a terceira idade?”.

Em poucos anos presenciaremos no país a inversão da pirâmide populacional: teremos mais pessoas idosas do que jovens. Uma realidade que requer uma nova postura por parte de todos: governos, empresas, ONG, sociedade civil em geral. São Paulo, maior metrópole brasileira, já vivencia grandes desafios que vão da atenção às demandas de saúde à mobilidade urbana. E cada dia é mais urgente investirmos esforços para garantir, ampliar e qualificar os recursos para promover a saúde, a qualidade de vida, o ambiente saudável para tornarmos nossa cidade ‘amiga’ de todas as idades. Assim, favoreceremos o envelhecimento ativo de nossa população.

A viabilidade das ações, pautadas nas melhores evidências gerontológicas, depende de esforços conjuntos para transpormos barreiras de diversas naturezas. Por isso, no Congresso deste ano decidimos ousar em refletir sobre a complexa questão do Financiamento. Na programação, a economia ampliada pública e privada no universo de ações para pessoas idosas, produtos e serviços para este público, políticas e boas práticas para se viver mais e melhor, com dignidade, liberdade e participação cidadã. Uma temática que abrange as tendências do mercado, os desafios do setor público, o envolvimento de entidades e sociedades para o encontro de soluções.

São Paulo, com esta iniciativa, reúne as melhores condições para aprender com iniciativas externas, incorporar e gerar novas ideias, e, finalmente, tornar-se um verdadeiro modelo para multiplicação de iniciativas inovadoras para outras cidades do território nacional. Afinal, a longevidade é extremamente positiva para todos nós. Mas, ao mesmo tempo, implica responsabilidade maior e compromisso em acolher o envelhecer.

Clique aqui para voltar.