• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Congresso volta aos trabalhos e devemos cobrar a DERRUBADA DO VETO

O Congresso Nacional retornou aos trabalhos essa semana e já devemos intensificar a cobrança pela DERRUBADA do veto da presidente na emenda da Medida provisória 672 que estende a política de valorização do salário mínimo para todos os aposentados e idosos. Se o Congresso aprovou a emenda é o mínimo que se pode fazer é derrubar o veto da presidente.

Na pauta estão projetos que concretizam o chamado ajuste fiscal, como o que reduz as desonerações na folha de pagamento de empresas. A Câmara sinaliza o engavetamento dos projetos de regularização de recursos no exterior não declarados e a proposta do governo de prorrogar e pior ampliar a chamada Desvinculação de Receitas da União (DRU) que retira dinheiro da Seguridade Social de maneira indiscriminada e não devolve! Mais um absurdo que não deve ser permitido!

Somente em 2014 a Seguridade teve um superávit de R$ 54 Bilhões e somando os anos anteriores chegamos a casa do trilhão. Do montante arrecado o governo retira indiscriminadamente da Seguridade Social 20% com a DRU, Desvinculação de Receitas da União, e some com o resto do superávit da Previdência. Para onde vai tanto dinheiro? A Previdência tem dinheiro desde que não retirem para outros fins! Não admitimos em hipótese alguma que a NOSSA Previdência caia nas mãos dos grandes bancos. A Seguridade Social é do povo!

Depois de anunciar o rompimento com o governo, em julho, o presidente da Câmara criou duas CPIs. Uma delas investigará os prejuízos que o governo deu ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e a outra vai apurar irregularidades na gestão dos fundos das estatais e a suposta relação deles com o esquema de corrupção na Petrobras.

O presidente da Câmara afirma estar disposto a pavimentar o caminho para um eventual impeachment da presidente. A primeira ameaça de Cunha é de colocar em votação os pareceres do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre as pedaladas que o TCU tende a rejeitar as contas apresentadas.

Clique aqui para voltar.