• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

A FAPESP REPUDIA o senhor Senador DELCÍDIO AMARAL

A FAPESP REPUDIA o senhor Senador DELCÍDIO AMARAL após Vossa Excelência afirmar em entrevista ao portal de notícias IG que o reajuste dos aposentados ao salário mínimo aprovada pelo Congresso é um complicador e não se sustenta e afirmou que nos próximos dias o governo deve anunciar outras alternativas.

O que não se sustenta é o posicionamento de Vossa Excelência. É preciso conhecer antes de alegar que a emenda aprovada na Medida Provisória 672/15 de política de valorização do salário mínimo para todos os aposentados é insustentável. Pior ainda, anunciar que vão colocar alternativas a emenda. Todas as alternativas que este governo impõem, sem consultar as Entidades representativas dos Aposentados e Idosos vem como uma retaliação cruel que sempre visa prejudicar os aposentados e ver apenas o interesse exclusivo do governo.

Deve-se antes de alegar a inviabilidade da emenda o fato de estar a serviço do povo que o elegeu. O senhor deve antes de tudo trabalhar para a população e não para um governo desarticulado.

Vossa Excelência precisa conhecer os dados da ANFIP (Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil), ou seja, de auditores da Receita Federal do Brasil com atuação na Previdência Social que desmentem as informações passadas pelo Ministério da Previdência e esclarecem que os gastos EM 4 ANOS (até 2019) seriam de R$ 8 Bilhões de reais e contrapõem aos R$ 9,3 Bilhões por ano divulgados pelo governo.

A Seguridade Social é mantida e financiada através de recursos próprios por meio do empregador, das folhas de salário, receita ou faturamento e lucro (COFINS, PIS, CSLL), do trabalhador através das contribuições descontadas do seu salário, das receitas de concurso e prognósticos realizadas mediante o sorteio de qualquer concurso envolvendo número, símbolo, loterias e apostas no âmbito federal e do importador de bens e serviços do exterior, ou seja, por meio do PIS Importação e da COFINS Importação.

Somente em 2014 a Seguridade teve um superávit de R$ 54 Bilhões e somando os anos anteriores chegamos a casa do trilhão. Do montante arrecado o governo retira indiscriminadamente da Seguridade Social 20% com a DRU, Desvinculação de Receitas da União, e some com o resto do superávit da Previdência. O que esse governo quer? Para onde vai tanto dinheiro? A Previdência tem dinheiro desde que não retirem para outros fins! Não admitimos em hipótese alguma que a NOSSA Previdência caia nas mãos dos grandes bancos. A Seguridade Social é do povo!

Esse governo não tem moral nenhuma. Um governo que se coloca contra o povo e gasta fortunas com viagens secretas a Portugal, Argentina, aprova construção de um shopping e não realiza ajuste fiscal na máquina pública. Um governo que está a serviço dos próprios interesses não merece respeito. Por isso, EXIGIMOS que trabalhem para o povo e a Presidente sancione a Medida Provisória 672 com a emenda, é o mínimo que poderia ser feito.

Lutamos e muito para um ganho real e justo dos benefícios. Conseguimos a aprovação da MP 672 que estende a todos os aposentados a política do salário mínimo e estamos na luta para ser colocado em votação e aprovado o nosso PL 4434/08 que prevê o reajuste do salário dos aposentados na mesma proporção que foi contribuído.

A FAPESP está disposta a discutir com Vossa Excelência os reais problemas dos aposentados, com informação correta sobre o Brasil. As Medidas aprovadas pelo Congresso que beneficiam os aposentados e idosos são legítimas e corretas e vão de encontro com os anseios dos aposentados e idosos que há décadas não tem um reajuste real e digno que apenas vê ano após ano seus benefícios sendo suprimidos por medidas impopulares e cruéis. Não vamos permitir que continuem cometendo mais injustiças com aqueles que ajudaram a construir com muito suor e dignidade o Brasil.

Clique aqui para voltar.