• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

VIÚVAS CONTINUAM NO PREJUÍZO! INSS NÃO TEM DATA PARA REVISAR PENSÕES

As viúvas estão pagando o preço da incompetência desse governo. Infelizmente tudo no nosso Brasil demora para acontecer quando se trata dos assuntos pertinentes aos aposentados, pensionistas e idosos. Apesar da MP 664/14 ter sido aprovada e sancionada com as devidas mudanças garantindo o valor INTEGRAL das pensões o INSS informou que não há previsão para adaptar seu sistema de cálculos para permitir a concessão do benefício integral.

A FAPESP ESTÁ COBRANDO QUE ESTE PROBLEMA SEJA SOLUCIONADO COM URGÊNCIA E VAMOS COBRAR O INSS PARA QUE NÃO DEIXE DE PAGAR OS VALORES INTEGRAIS. QUALQUER PREJUÍZO DEVE SER DEVIDAMENTE REPOSTO O MAIS BREVE POSSÍVEL. VAMOS ACOMPANHAR E TOMAR TODAS AS MEDIDAS NECESSÁRIAS PARA NÃO PREJUDICAR MAIS AINDA OS APOSENTADOS, PENSIONISTAS E IDOSOS!

Pela MP 664. o cônjuge com menos de 21 anos, a pensão será paga por três anos; na faixa de 21 a 26 anos, por seis anos; entre 27 e 29, por dez anos; entre 30 e 40 anos, por 15 anos; na idade de 41 a 43, por 20 anos; e para os com 44 anos ou mais ela continuará vitalícia.

Porém, as Pensões por morte do INSS continuam sendo pagas com um desconto de até 40% da média salarial do segurado que morreu, apesar de a regra que determinar o pagamento do benefício integral estar valendo desde o dia 18 de junho.

A MP enviada pela presidente Dilma no final de dezembro de 2014 havia reduzido o valor da pensão, mas ela foi alterada no Congresso, e o pagamento de 100% da média salarial ou da aposentadoria do segurado que morreu voltou a valer para todos os viúvos.

Clique aqui para voltar.