• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

FAPESP NA MÍDIA!

O Presidente da FAPESP, Antonio Alves da Silva está na edição do Jornal Diário de S. Paulo comentando a Medida Provisória 681 que que aumenta de 30% para 35% o limite do desconto do crédito consignado em folha de pagamento para trabalhadores da ativa, aposentados, pensionistas e servidores públicos.

Nosso Presidente ressaltou que aumento do crédito consignado está muito longe de resolver os problemas financeiros dos aposentados e pensionistas. Lutamos e muito para um ganho real e justo dos benefícios. Conseguimos no Congresso a aprovação da MP 672 que estende a todos os aposentados a política de valorização do salário mínimo e estamos na luta para ser colocado em votação e aprovado o nosso PL 4434/08 que prevê o reajuste do salário dos aposentados na mesma proporção que foi contribuído.

A Reportagem assinada pelo jornalista Juca Guimarães do Diário de S. Paulo tratou mais uma vez de alertar os cuidados ao contrair dívidas e destacou a luta da FAPESP por um salário digno e justo aos aposentados. É desse exemplo de trabalho que precisamos. Uma reportagem com prestação de serviço a população, a favor dos aposentados. Jornalismo sério se faz assim!

O grupo de inadimplentes idosos foi o que mais cresceu em maio deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo estudo da Serasa Experian, a fatia de devedores com 61 anos ou mais passou de 11,8% para 12,2% em maio. A diferença indica que 600 mil desses consumidores entraram na lista de inadimplentes de um ano para outro.

Com a alta da inflação e a diminuição dos benefícios, o endividamento dos idosos e de toda população tem crescido. Em abril, o endividamento das famílias brasileiras chegou ao maior nível em 10 anos, comprometendo mais de 46% da renda anual.

A MP estabelece que, do limite de 35%, 5% SÃO RESERVADOS EXCLUSIVAMENTE para pagamento de despesas contraídas por meio DE CARTÃO DE CRÉDITO. Uma pessoa que recebe R$ 2.000 por mês antes podia comprometer com empréstimo em folha até R$ 600 (30%). Com a nova regra, esse valor sobe para R$ 700 (35%), porém desse total os 5% acrescidos, R$ 100, só podem ser usados para pagar as dívidas do cartão de crédito que têm taxas de juros muito mais altas (média de 13,57% ao mês).

Ou seja, você pode pagar a dívida do cartão de crédito por outra dívida um pouco mais barata. O crédito consignado é mais barato em comparação ao cartão de crédito já que os bancos têm a garantia de receber os pagamentos, já que eles são descontados diretamente dos rendimentos.

O empréstimo consignado pode ser usado para os pagamentos de cartão de crédito, empréstimos, financiamentos e operações de arredamento mercantil. No ano passado, o Ministério da Previdência decidiu ampliar o prazo máximo de pagamento de empréstimo consignado para os aposentados do INSS. O número limite de prestações mensais para pagamento de empréstimo pessoal e cartão de crédito subiu de 60, equivalente a cinco anos, para 72, ou seis anos. Segundo o Ministério da Previdência existem mais de 1 milhão de contratos de empréstimos consignados.

O empréstimo consignado é a modalidade de crédito em que o pagamento da parcela é descontado diretamente no contracheque do trabalhador. No caso dos aposentados e pensionistas, a cobrança é feita na folha do INSS. ESSE TIPO DE CRÉDITO PODE SE TORNAR UMA ARMADILHA EM CASOS DE NECESSIDADE OU MESMO ALGUMA EMERGÊNCIA, POIS O DINHEIRO IRÁ PARA O BANCO DE QUALQUER MANEIRA.

Clique aqui para voltar.