• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

SAÚDE || IDOSOS SÃO 9 EM CADA 10 MORTOS POR DENGUE NO PAÍS

Um número preocupante foi divulgado pelo Ministério da Saúde. Nove em cada dez mortos pela dengue neste ano no Estado de São Paulo eram pessoas com 60 anos ou mais das quais 75% tinham algum tipo de doença preexistente.

O perfil foi mapeado com informações de 130 dos 169 óbitos registrados –recorde desde 2010, quando houve 141 mortes, conforme balanço do Ministério da Saúde.

Os idosos são 87% das vítimas da dengue. O número de mortos é a segunda marca negativa gerada por São Paulo durante a epidemia em 2015. O Estado também registrou recorde de casos de dengue, com 222 mil confirmações.

De acordo com a médica da Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas da Região do Grande ABCDMRPRGS, Jeanne Cuellar, os idosos se confundem com sintomas da gripe, e em muitos casos de dengue são descobertos e tratados tardiamente.

Alguns fatores são determinantes para uma morte por dengue, idosos são as principais vítimas porque, na prática, estão mais sujeitos por conta das condições gerais de saúde da pessoa e a falta de diagnóstico rápido da doença e de medidas de atenção ao doente, além do sorotipo do vírus que a contaminou e a quantidade de vezes que ela foi infectada.

Se você suspeita de dengue, vá direto ao hospital ou clínica de saúde mais próxima. Os médicos farão a suspeita clínica com base nas informações que você prestar, mas o diagnóstico de certeza é feito com exame de sangue específico, chamado sorologia. Ele vai analisar a presença do vírus da dengue no seu sangue e leva de três a quatro dias para ficar pronto. No atendimento, outros exames serão realizados para saber se há sinais de gravidade ou se você pode manter repouso em casa.

Não existe tratamento específico contra o vírus da dengue, é possível tratar os sintomas decorrentes da doença, ou seja, fazer um tratamento sintomático. É importante apenas tomar muito líquido para evitar a desidratação.

A doutora alerta que neste caso não se deve tomar a vacina contra a gripe. “O corpo está com a imunidade baixa e não se deve tomar a vacina, primeiro o tratamento”, alerta Jeanne.

A principal diferença entre a febre da dengue para a da gripe é que, no caso da gripe, surgirão sintomas respiratórios normalmente nas primeiras 24 horas após o início da febre. Além disso, espirros, tosse e a produção de muco no nariz são sintomas comuns da gripe.

Os sintomas da dengue iniciam de uma hora para outra e duram entre 5 a 7 dias. Os principais sinais são: Febre alta com início súbito (39° a 40°C); Forte dor de cabeça; Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos; Perda do paladar e apetite; Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores; Náuseas e vômitos; Tontura; Extremo cansaço; Moleza e dor no corpo; Muitas dores nos ossos e articulações; Dor abdominal (principalmente em crianças).

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue clássica. A diferença é que a febre diminui ou cessa após o terceiro ou quarto dia da doença e surgem hemorragias em função do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Quando acaba a febre começam a surgir os sinais de alerta como: Dores abdominais fortes e contínuas; Vômitos persistentes; Pele pálida, fria e úmida; Sangramento pelo nariz, boca e gengivas; Manchas vermelhas na pele; Comportamento variando de sonolência à agitação; Confusão mental; Sede excessiva e boca seca; Dificuldade respiratória; Queda da pressão arterial.

Clique aqui para voltar.