• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Presidente Antonio Alves se encontra com o Presidente da Câmara Eduardo Cunha

O Presidente da FAPESP, Antonio Alves da Silva e o Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá se encontraram na tarde desta terça-feira,11 de março com o Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

No encontro o Presidente Antonio Alves da Silva entregou em mãos uma placa prestando homenagem e apoio às iniciativas a frente da Câmara Federal, que pela primeira vez favorece os Aposentados e Idosos. O Presidente da FAPESP entregou uma carta em mãos reiterando a postura independente diante das ações do Executivo. Na mesma oportunidade o Presidente da FAPESP pediu apoio para que seja colocada em pauta no Plenário da Câmara a votação do Pl 4434/08. O Presidente Eduardo Cunha disse que irá trabalhar a questão para assim colocar em discussão.

O Presidente da FAPESP ainda participou de uma reunião do movimento UNA-SE (Movimento Unificado dos Idosos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público e do INSS). A reunião discutiu as ações do movimento contra as MPs 664 e 665 e o trabalho para as aprovações da PEC 555 e PL 4434/08. Na reunião estavam presentes Dirigentes da ANFIP, MOSAP, COBAP e diversas Entidades ligadas ao movimento dos aposentados.

O Presidente da FAPESP, Antonio Alves da Silva, convidou todos os presentes a participar do Grande Ato de Piracicaba no dia 31 de março e repudiou a ação do Deputado Federal Paulinho da Força, do Solidariedade e do Deputado Renato Rabelo do PC do B que se colocaram contra a emenda ao Projeto de valorização do salário mínimo até o ano de 2019 que se aprovada a emenda iria beneficiar todos os aposentados e pensionistas que ganham acima do salário mínimo.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (10) um projeto que mantém a política de valorização do salário mínimo até 2019. A votação, no entanto, não foi concluída e deputados da base aliada ameaçam impor uma nova derrota ao Palácio do Planalto, estendendo o mecanismo para aposentados e pensionistas que ganham acima do mínimo.

O texto aprovado garante pelos próximos anos o sistema de atualização do mínimo que é calculado com a correção da inflação, medida pelo INPC do ano anterior, mais a variação do PIB de dois anos antes. A norma em vigor perde validade no fim do ano.

Os parlamentares, porém, deixaram para votar na sessão desta quarta as sugestões de mudança na proposta. Entre as medidas que ainda precisam ser avaliadas está a extensão da regra para todos os benefícios da Previdência, o que implicaria, por exemplo, no reajuste dos aposentados e pensionistas que ganham mais que o mínimo.

A medida é rejeitada pelo governo diante do alto impacto nas contas públicas. O governo só tem interesse em preservar as diretrizes da política. Hoje, as aposentadorias superiores ao mínimo são reajustadas com base apenas na inflação do ano anterior.

A FAPESP ESTÁ NA LUTA SEMPRE, NÃO VAMOS DESISTIR! FORÇA JÁ APOSENTADOS!

CRÉDITO FOTO: RODOLFO STUCKERT

Clique aqui para voltar.