• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Saiba sacar o dinheiro extra que terá ao se aposentar

Os segurados que decidem se aposentar conseguem, além do benefício do INSS, sacar alguns extras, como Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o rendimento e a cota do PIS. Quem tem plano de previdência privada também poderá receber o dinheiro. Se o trabalhador for demitido, por exemplo, ele terá o direito de receber a multa de 40% do saldo do FGTS. Além disso, o segurado que decidiu se aposentar mais vai continuar trabalhando na mesma empresa poderá sacar o fundo todos os meses. Porém, se ele for para outra companhia, o saque só será liberado novamente na rescisão desse novo contrato.

Já os trabalhadores que tinham carteira assinada entre 1971 e 1988 podem também ter direito à cota e ao rendimento do PIS. Tanto o dinheiro do FGTS quanto o dos PIS são liberados em até cinco dias, na Caixa Econômica Federal, depois de o aposentado dar entrada no período.

Além desses extras, quem vai deixar a empresa deve ficar atento aos pagamentos que ainda não recebeu. Salários, férias e 13º, por exemplo, devem ser calculados proporcionalmente. Quem recebia adicionais também deve conferir se eles entraram na rescisão.

Especialistas previdenciários afirmam que o novo aposentado deve, primeiro, pagar as suas dívidas com o dinheiro dos extras. Depois, é melhor investir. Afirmam que assim que puder, o trabalhador deve sacar o FGTS, pois o fundo rende só 3% ao ano mais a Taxa Referencial (TR). Para quem vai usar o dinheiro em curto prazo, uma opção é a poupança, que rende 6,17% ao ano mais a TR. E para quem vai deixar o dinheiro guardado por mais tempo poderá investir no Tesouro Direto. Nesse caso, é melhor escolher um título que pague juros mais correção pelo IPCA.

Em todos os casos, o melhor é sempre consultar um advogado especializado em causas previdenciárias. Portanto, procure o departamento jurídico de sua associação e esclareça suas dúvidas.

Clique aqui para voltar.