• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Definir melhor hora de pedir o benefício exige reflexão

Uma das dúvidas mais comuns de quem está prestes a completar as condições mínimas para a aposentadoria é saber se o benefício será vantajoso e se vale a pena esperar um pouco mais.

Em alguns casos, adiar o pedido em um ano já dá uma boa diferença, tanto no valor do benefício, quanto no tempo total em que o segurado receberá uma aposentadoria maior. Para outros, no entanto, esperar pode não valer a pena – porque não há diferença, porque ela será pequena ou porque o segurado já estará com idade mais avançada quando tiver recuperado a grana que deixou de receber no INSS.

Advogados previdenciários dizem que o segurado deve lembrar que, ao adiar o pedido até 2015, ele deixará de receber 12 parcelas de benefício. Porém, ele contribuiu por mais ano, acumulando mais pagamentos, idade e, em alguns casos, contribuições maiores.

Essa questão é importante, principalmente, para quem passou a ganhar mais. O INSS descarta o valor das 20% menores contribuições do cálculo do benefício. A cada mês com salário maior, uma contribuição menor é descartada.

Em geral, segundo o advogado, esperar um pouco mais vale a pena.

Antes de tomar a decisão do melhor ano para se aposentar, é preciso avaliar sua situação financeira e programar os gastos que terá, por exemplo, com o plano de saúde. O plano de saúde é uma das questões que o especialista pede para os segurados considerarem antes de decidir. O importante é procurar ganhar um pouco a mais na aposentadoria do INSS para poder pagar o convênio médico.

Outros detalhes devem ser analisados, como a existência de dívidas ou se o segurado tem um fundo de pensão ou uma poupança. Na verdade não há um parâmetro objetivo que defina a hora certa. A decisão é muito pessoal.

Clique aqui para voltar.