• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

Resolva as pendências para garantir a aposentadoria

Os segurados do INSS que não querem ter problemas para se aposentar podem verificar em seu CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) se há algum erro que precisa ser resolvido antes de pedir o benefício.

A consulta deve ser feita no item “Pendências”, onde dá para saber se é necessário corrigir o cadastro. Lá, haverá um código que indica qual é o problema encontrado pelo instituto. A mesma sigla aparecerá no item “Indicadores” em frente ao período em que o erro foi constatado. Se não aparecer nenhum código, não há pendências.

Um dos problemas mais comuns são os registros feitos fora de época, que são chamados de “extemporâneos”. Nesses casos, a sigla que aparece é “PEXT”. Para resolver a questão, o segurado deverá levar documentos que comprovem o erro no CNIS, como o contrato de trabalho e o exame admissional.

Outro código que pode aparecer é “PVR-CNISVR”, que indica que o vínculo de trabalho ou o salário recebido estão pendentes no sistema do INSS. Nesses casos, será preciso apresentar documentos como o contrato de trabalho e o de experiência, além dos recibos de férias e os extratos de FGTS.

É importante afirmarmos que é direito do segurado corrigir as informações erradas que estão no banco de dados do sistema do INSS, apesar de haver uma resistência do órgão para fazer essa correção.

Assim que identificar o problema, o segurado deve procurar o INSS para resolver a pendência. Deixar a correção para a última hora pode atrasar a aposentadoria. O segurado que não conseguir resolver suas pendências direto nas agências do INSS deverá entrar com uma ação na Justiça. Nesses casos, além dos documentos, também será possível apresentar testemunhas. Outra dica importante é guardar os protocolos fornecidos pelo instituto para que sirvam de prova que o segurado procurou o INSS administrativamente.

Em todos os casos, o melhor é sempre consultar um advogado especializado em causas previdenciárias. Portanto, procure o departamento jurídico de sua associação e esclareça suas dúvidas.

Clique aqui para voltar.