• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

FAPESP REPUDIA PREVIDENCIÔMETRO!

A FAPESP REPUDIA veemente CNI - Confederação Nacional da Indústria com o lançamento do Previdenciômetro. Enviamos ao senhor Robson Braga De Andrade, Presidente da Entidade nosso repúdio a este absurdo!

Transformar a nossa Previdência em um placar no qual mostra o “prejuízo” pela não aprovação da PEC 287/16 é um absurdo, lembrando que a maior fonte de renda de 70% (3.875) dos 5.566 municípios brasileiros são os benefícios pagos pela Previdência Social, que superam, inclusive, os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Então é errado colocar um placar de “economia” de R$ 3,3 bilhões e pior fazer um comparativo dizendo que com esses recursos, seria possível construir quase 800 escolas e 133 hospitais. Uma comparação sem sentido do quanto vale esse dinheiro. O dinheiro da Previdência Social é do trabalhador, é do aposentado é o seguro social do povo.

Cabe ao governo investir em educação, saúde, segurança, já pagamos muitos e muitos impostos para isso, mas claro, sempre é mais fácil culpar o povo e apontar a Previdência Social como o causador de todos os problemas do país e se isentar de tudo.

Está bem claro que o governo Temer promove o desmonte de direitos fundamentais, já congelaram gastos da saúde, educação por 20 anos, rasgaram a nossa CLT e querem tirar a nossa aposentadoria, entregar a nossa Previdência aos bancos.

A Previdência Social tem como fonte de arrecadação a folha de pagamento dos trabalhadores, a contribuição patronal, prognósticos de loterias, PIS, COFINS, definidos por lei. A Previdência Social não depende de recursos do Orçamento Fiscal (tributário) do Governo.

O governo gasta bilhões em emendas parlamentares para ter apoio/comprar votos e ainda perdoar dívidas de mais de 400 Bilhões de reais para várias empresas e ainda culpa o aposentado e trabalhador?

O relatório da CPI da Previdência, aprovado por unanimidade, inclusive, com apoio da base governista, comprovou que o superávit entre 2000 e 2015 foi de R$ 821.739.000.000,00 (bilhões). Atualizado pela taxa Selic, esse valor seria hoje de R$ 2.127.042.463.220.76 (trilhões) ou seja, NADA DE DÉFICIT!

A postura do governo de que há rombo na Previdência é contraditório com a política de desonerações. Nos últimos 20 anos, devido a desvios, sonegações e dívidas deixaram de entrar nos seus cofres mais de R$ 3 trilhões. A Desvinculação de Receitas da União (DRU) entre 2000 e 2015 foram R$ 614.904.000.000,00 (bilhões). Atualizado esse valor chegaria hoje a R$ 1.454.747.321.256,90 (trilhões). Há de se registrar que o atual governo elevou de 20% para 30% o percentual de retirada do orçamento da Seguridade. NÃO HÁ ROMBO, HÁ ROUBO NA NOSSA PREVIDÊNCIA!

A Previdência deveria ser um órgão paralelo ao governo com sistema de administração quadripartite. Seus recursos jamais deveriam ser usados pelo governo, pois a Previdência Social é o maior distribuidor de renda no país. A Previdência não precisa de reformas:

• Precisa de ajustes como ter instrumentos que cobrem devidamente as suas dívidas. As empresas devem a Previdência Social hoje mais de um trilhão de reais.
• Acabar com a renúncia fiscal.
• Criar um fundo previdenciário com o superávit anual, com a venda dos imóveis, alguns vazios se deteriorando e outros alugados por valor bem abaixo do mercado.

Com essas ações e com o fundo evitaríamos que o governo usasse os recursos da Previdência como fez na construção de Brasília, da ponte Rio Niterói, Transamazônica, compra de deputados, perdão de dívidas de empresas, pagamento de juros da dívida externa, entre outros.

A maior riqueza do nosso pais é a sua gente. Governo que governa contra o povo não é digno de presidir nossa nação.

VERGONHOSO esse “Previdenciômetro”. Solicitamos a retirada desse absurdo em respeito aos trabalhadores, aposentados e idosos!

Clique aqui para voltar.