• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

NOTA DE REPÚDIO!

DESAFORO! ÍNDICE DE REAJUSTE DO SALÁRIO DOS APOSENTADOS É UMA VERGONHA!

A FAPESP, REPUDIA a correção vergonhosa de 1,81% no salário mínimo e de 2,07%, para os benefícios acima de um salário em 2018, ambos abaixo da inflação de 2,95%! Esse reajuste marginaliza cada vez mais o trabalhador e o aposentado brasileiro. A Federação encaminhou ofício para todos Deputados, Senadores, Executivo e lideranças. Não vamos nos calar diante dessa afronta!

O valor para o salário mínimo de R$ 954, não recompõe sequer o poder de compra do brasileiro. Esse reajuste é ilegal já que o governo definiu o valor do salário mínimo em dezembro, antes da inflação de 2017 ser divulgada. Há uma brecha na lei que permite estimar a inflação correspondente aos meses em que o índice oficial ainda não tenha sido divulgado. Mas fazer um decreto sem os números oficiais é uma falta de respeito com o povo brasileiro que vem tendo seus direitos suprimidos. Os números podem apontar inflação contolada mas a realidade nas ruas é outra com desemprego, alta de preços e insegurança.

O valor do salário mínimo está distante do valor considerado como necessário. De acordo com o Dieese, o mínimo para suprir as despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência deveria ser de R$ 3.856,23 em dezembro de 2017 e que nos sobram são migalhas.

Nós brasileiros pagamos R$ 2,172 trilhões em impostos em 2017, segundo o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo e para onde foi todo o nosso dinheiro?

Na contramão do discurso de rombo nas contas públicas, da PEC da Previdência e do reajuste vergonhoso aos aposentados, as emendas parlamentares alcançaram o maior valor liberado em 2017 ao todo, foram R$ 10,7 bilhões, o que representa um crescimento de 48% em relação ao ano anterior enquanto isso o povo fica com um reajuste menor que 2%, não respeitando a lei que estabelece levar em consideração a variação do INPC e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Isso é injusto e cruel!

Os aposentados a cada ano têm seus benefícios menores, sem o reajuste real, ou seja, perdem poder de compra e qualidade de vida e lutam para sobreviver. Este reajuste abaixo da inflação faz com que o aposentado não consiga pagar sequer o plano de saúde, se endivide mais e isso é a marginalização total da pessoa idosa.

Pedimos aos Excelentíssimos senhores que olhem com atenção para a realidade do povo brasileiro que os elegeram para trabalhar para o povo.

Os aposentados e idosos exigem mais respeito!

Clique aqui para voltar.