• facebook
  • Flickr
  • twitter
  • orkut

NOTA DE REPÚDIO

A FAPESP, Federação das Associações e Departamentos de Aposentados, Pensionistas e Idosos do Estado de São Paulo REPUDIA discurso do ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, que afirmou no dia 12 de setembro de 2017 em palestra no 14º Fórum de Economia na Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo que a PEC da Previdência é indispensável e sem ela, não será possível honrar pagamentos de benefícios em breve. O senhor Meirelles também já disse discurso similar esse absurdo.

Querem alardear essa situação ameaçando que se a reforma não passar a situação ficará igual aos servidores nos estados. Isso é má administração dos recursos que são do povo! Em 2015 a Seguridade Social (Previdência) arrecadou R$ 11 Bilhões de superávit, segundo dados da ANFIP(Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal) Em 2016 foram arrecadados R$ 416 bilhões. O governo ignora os valores que as empresas não repassam ao INSS. O governo não cobra as empresas devedoras que acumulam uma dívida de R$ 426,07 bilhões. Segundo a ANFIP parte das contribuições são desvinculadas para outros fins, prática regulamentada pelo Congresso por uma emenda, a DRU (Desvinculação de Receitas da União) que retira 30% da Seguridade Social.

Ao mesmo tempo em que o governo anuncia um rombo de R$ 159 bilhões o governo concede benefícios gigantescos para setores da economia, regiões do país e até mesmo para as pessoas físicas. As chamadas renúncias tributárias, ou seja, a perda de arrecadação que o governo registra ao reduzir tributos com caráter "compensatório" ou "incentivador" para setores da economia e regiões do país, estão estimadas em R$ 284 bilhões neste ano. Juntamente com os benefícios financeiros e creditícios (R$ 121,13 bilhões), os valores totais estão projetados em R$ 406 bilhões para este ano, com alta de 7,4% frente ao ano de 2016 (R$ 378 bilhões). Os números são da Receita Federal e do Tribunal de Contas da União (TCU).

Não precisamos de conta matemática alguma para ver que criam uma situação para o desmonte da Previdência Social! Basta olhar o “rombo” e o quando o governo tem em renúncias para ver que o problema não é a Previdência Social, nem os aposentados, e nem os trabalhadores. O problema é a falta de caráter daqueles que estão no poder! Covardes, cruéis, corruptos!

Vamos repudiar cada palavra mentirosa que dizem!

O GOVERNO FAZ TERRORISMO COM O POVO! ISSO É ERRADO, É INJUSTO É CRUEL!

NÃO A PEC 287/16! NÃO AO DESMONTE DA NOSSA PREVIDÊNCIA SOCIAL!

NOSSA LUTA NÃO PODE PARAR!

Clique aqui para voltar.